João Carlos F. Almeida (Rhoter) / Nadir A D'Onofrio

 

poeta e sua máscara

João Carlos (Rother)


O poeta usa a máscara da fantasia
Para se iludir da realidade do amor,
Vivendo a tola ilusão da alegria,
metamorfoseando-se de trovador.


Poeta de poetar elegante de paixão,
Cuja máscara torna-o irreconhecível
Na realidade da distância à razão,
Percorre o lirismo do ser invisível.


Poeta que no seu linguajar indolente
Coloca a máscara da emoção,
Transforma as noites tão ardentes
E o céu cheio de estrelas em ilusão.


Poeta que escreve poesias atraentes,
Galgando a intelectualidade sensual
De sonhos, luas e amores indiferentes,
Quando garatuja a inspiração banal.


Poeta de luas e sonhos coloridos
Por amores de todas suas amantes,
Ideais de alma e corpo corrompidos
De dolorosas lembranças farsantes.


www.poetarebelde.com

Máscara
Nadir A D’Onofrio

Retira a máscara
Que engana e mente.
Mostra só alegria,
De um amor incoerente.

Ilusão do bem viver
Dissimulando a razão.
O amor a arrefecer,
Só restou abdicação.

Noites de orgias
Tardes de prazer.
Manhãs de cortesias,
O ser... a sobreviver...

O mundo que criou
Revestiu de fantasia.
Riu, dançou, ousou!
Hoje, lágrimas na poesia.

Somente a lua assistiu
O despir da falsidade.
O mundo ilusório ruiu,
Vive só, na obscuridade...

08/06/2006
Santos SP


 

 

Mid: AznavourLa Boheme
Imagem: http://q10.com.br/anachristina/mascaras/Mascara6.JPG
http://q10.com.br/anachristina/mascara6.htm
Imagem: http://www.informativofuenlabrada.com/ficheros/Máscaras%20Venecianas.jpg
 

Art: Nadir A D'Onofrio
Respeite Direitos Autorais