Nadir D'Onofrio e Tarcísio Costa

Confusão de Pensamentos  e Versos Reversos

 

Natal  Rio Grande do Norte

 

CONFUSÃO DE PENSAMENTOS

Mesclando, beleza, ritmo, cores
Entre o côncavo e convexo,
Existe o plano!
Levando a vida à toa,
Pode ser uma sensação muito boa!
Dizem que sonhar é viver,
Também é parte do sofrer
Saudade... recordações de você!
A natureza que inspira traz alegrias,
Cantar dos pássaros aos meus ouvidos é sinfonia!
No frescor que a brisa traz,
Lembranças das manhas de amor...
Saciar a sede com água da fonte,
O banho na cachoeira,
Inverno ou verão a mim, tanto faz.
Quero dormir ao relento em noites de luar,
Brincar de esconde, esconde,
Só para você me encontrar...
Tomar água de coco gelada, sob os coqueirais
Abraçada em você apreciar o sol nascer
Deitada em teu colo ver, o ocaso acontecer
À noite contar estrelas te amar
Sentir milagre da vida que é viver!
Isso pode ser classificado como, viver à toa?
Se assim for quero continuar do jeito que sou!

Nadir A D'Onofrio
03/02/2005
Santos SP


Versos Reversos
Tarcísio R. Costa

A lucidez do poeta
é meio contraditória.

O que vêem os seus olhos
Podem ser flores ou abrolhos,
Tudo lhe cria confusão...
Pensa coisas sem nexo,
Confunde o plano com o convexo,
Mas, levo a vida "numa boa".
Embora o achem à toa...
Não é mais e nem menos,
E nem mais, nem menos
É, apenas, um sonhador
Que vive envolvido com amor,
E convive com a saudade...
Das coisas, não tem maldade...
Tudo lhe traz emoção.
É terno o seu coração.
Venera os passarinhos,
A brisa lhe dá os seus carinhos...
Anda em busca da beleza,
Ama com ardor à natureza...
Quer conhecer o horizonte,
Quer beber água na fonte,
Gosta do calor ou do frio,
Por isso, mergulha no rio,
Sem proteção de agasalhos.
Não caminho pelos atalhos...
Gosta de sonhar com o passado,
Para lembrar que foi amado,
Nos seus tempos de criança...
Assim, vive atrapalhado,
Não é alho e nem bugalho,
Vive numa confusão.
O muito acha pouco,
Fique certo, não é louco,
Não suporta nostalgia,
Para acabar com a agonia
Ele tenta desabafar o que sente
No ritmo da poesia.

Art:: Nadir A D'Onofrio
Respeite os Direitos Autorais