Escultores dos Rochedos

Nadir AD'Onofrio


  Em dia de tristeza "um deus" chorou
 foram lágrimas compulsivas!
 Provenientes da dor
 rolaram, aos borbotões.
 Buscavam um lago espelhado
 onde pudessem desaguar.
 Despencaram em corredeiras
 rasgaram-se em pedras grotescas.
 Resvalaram em margens toscas
 gotas exangues, se deixaram levar
 já não interessava o destino!
 Na trajetória, encontram o mar
 imenso, ruidoso, misterioso!
 Exaustas, quase desfalecidas
 adentraram no estuário.
 Chagas abertas em águas salinas...
 Imaginaram, não suportar o sofrimento!
 Comandadas pela lua, aliadas ao vento,
 tornaram-se agressivas, temidas
 Incansáveis e juntos, ondas e vento
  hoje são, escultores dos rochedos...


 25/06/2007
*14:21h
Serra Negra/SP

Livro Visitas

Voltar

 

Mid: Oknynpiano
Art: Nadir A D'Onofrio
Imagem obtida através de grupo
Respeite Direitos Autorais