(SÓ) ENTRE O BREU
Nadir A D’Onofrio

Que os ais dos meus anseios
Misturem-se, ao vento a bramir
Dissipem meus devaneios
E a angustia, que tento oprimir

Sem perspectivas e galanteios
A dor da saudade vou suprimir
Apago assim, os candeeiros
Imaginando poder dormir...

(Só), entre o breu, trovoadas
Vejo o raio partindo um galho
No rosto, lágrimas desvairadas

Diante do portentoso, Carvalho
A chuva a cair como chibatadas
E um tapete de folhas, sobre o cascalho...

03/03/2012*22:17h
Serra Negra SP


Livro Visitas

 

Mid: now_and_forever
Art: Nadir A D'Onofrio
Imagem Net, sem constar Direitos Autorais
Respeite Direitos Autorais