Sopa de Poesia
Nadir A D’Onofrio


A louça posta aguardava
A sopa fervilhava.
O toque no linho,
Sobre a mesa
Desperta sensações,
Adormecidas pelo tempo.
Aroma de ervilha,
E outras iguarias.
O sabor do vinho,
Acentuam a saudade de você...
Brindávamos a neve que caia!
O fogo ardia, lenha crepitava,
No macio tapete
O amor acontecia,
A lareira a tudo assistia...
Hoje, o buquê garni
Exala aroma seco,
O poeta emudeceu,
A sopa de poesia,
Há muito... tempo arrefeceu...

22/04/2006*Santos SP


 

 

Mid: Dream
Imagem Ilustrativa: Recebida por repasse de grupo
Art: Nadir A D'Onofrio
Respeite os Direitos Autorais